Voltar

Leis, decretos e portarias


Prefeitura Municipal de Araguaína

Dispõe sobre a criação da Agência Municipal de Segurança, Transportes e Trânsito de Araguaína – ASTT e dá outras providências.

Publicada em 16/01/2017

LEI  COMPLEMENTAR  046,  DE  16  DE  JANEIRO  DE  2017  

                                                                   

Dispõe  sobre  a  criação  da  Agência  Municipal  

de  Segurança,  Transportes  e  Trânsito  de  

Araguaína  –  ASTT  e  dá  outras  providências.  

 

O  PREFEITO  MUNICIPAL  DE  ARAGUAÍNA,  ESTADO  DO  TOCANTINS,  faço  saber  que  a  

Câmara  Municipal  APROVOU  e  eu  SANCIONO  e  PROMULGO  a  seguinte  Lei  Complementar.  

 

CAPÍTULO  I  

DISPOSIÇÕES  PRELIMINARES  

 

Art.  1º  Fica  criada  a  Agência  Municipal  de  Segurança,  Transportes  e  Trânsito  de  

Araguaína  –  ASTT,  dotada  de  personalidade  jurídica  de  direito  público,  com  prazo  de  duração  

indeterminado,  com  sede  e  foro  no  Município  de  Araguaína,  Estado  do  Tocantins,  vinculada  

ao  Chefe  do  Poder  Executivo.    

 

§  1º  A  ASTT  integra  a  administração  pública  indireta  do  Município,  como  órgão  de  

execução,  de  primeiro  nível  hierárquico,  com  autonomia  orçamentária,  financeira,  

patrimonial  e  auto-organizacional,  dentro  dos  limites  previstos  nesta  Lei.    

 

§  2º  Para  os  efeitos  de  aplicação  desta  Lei  as  expressões  "Agência  Municipal  de  

Segurança,  Transportes  e  Trânsito  de  Araguaína"  e  "ASTT"  são  equivalentes.    

 

CAPÍTULO  II  

FINALIDADES,  OBJETIVOS  E  ATRIBUIÇÕES  

 

Art.  2º  A  ASTT  tem  por  finalidade:    

 

I  -  regulamentar,  gerir  e  supervisionar  os  trabalhos  da  Guarda  Municipal  de  

Araguaína,  nos  termos  da  legislação  pertinente;    

II  -  o  planejamento,  a  organização,  a  direção,  a  coordenação,  a  execução,  a  delegação  

e  o  controle  da  prestação  dos  serviços  públicos  relativos  a  transporte  coletivo  e  individual  de  

passageiros,  tráfego,  trânsito  e  sistema  viário  do  Município  de  Araguaína;    

III  -  o  cadastro,  a  vistoria  e  a  autorização  de  veículos;    

IV  -  a  educação  de  trânsito;    

V  -  a  engenharia  de  trânsito  e  transportes;    

VI  -  a  operação  dos  sistemas  de  trânsito  e  transportes,  o  policiamento  e  a  fiscalização;    

VII  -  o  julgamento  de  infrações  e  de  recursos;    

VIII  -  a  aplicação  de  penalidades,  na  forma  prevista  no  art.  5º  do  Código  de  Trânsito  

Brasileiro  e  demais  normas  complementares;  

   

Art.  3º  A  ASTT  tem  por  objetivo  proporcionar  a  segurança  dos  munícipes  e  do  trânsito  

viário,  assegurando  a  fluidez  deste  e  a  qualidade  dos  sistemas  de  transportes,  contribuindo  

para  melhorar  a  qualidade  de  vida  da  sociedade  e  garantir  o  direito  de  ir  e  vir  dos  cidadãos  no  

âmbito  do  Município  de  Araguaína.    

 

Art.  4º  São  atribuições  da  ASTT:    

   

I  -  zelar  pelos  bens,  equipamentos  e  prédios  públicos  do  Município;      

II  -  prevenir  e  inibir,  pela  presença  e  vigilância,  bem  como  coibir,  infrações  

administrativas  ou  penais  e  atos  infracionais  que  atentem  contra  os  bens,  serviços  e  

instalações  municipais;    

III  -  atuar,  preventiva  e  permanentemente,  no  território  do  Município,  para  a  

proteção  sistêmica  da  população  que  utiliza  os  bens,  serviços  e  instalações  municipais;    

IV  -  colaborar,  de  forma  integrada  com  os  órgãos  de  segurança  pública,  em  ações  

conjuntas  que  contribuam  com  a  paz  social;    

V  -  colaborar  com  a  pacificação  de  conflitos  que  seus  integrantes  presenciarem,  

atentando  para  o  respeito  aos  direitos  fundamentais  das  pessoas;    

VI  -  exercer  as  competências  de  trânsito  que  lhes  forem  conferidas,  nas  vias  e  

logradouros  municipais,  nos  termos  do  Código  de  Trânsito  Brasileiro  ou,  de  forma  

concorrente,  mediante  convênio  celebrado  com  órgão  de  trânsito  estadual  ou  municipal;    

VII  -  proteger  o  patrimônio  ecológico,  histórico,  cultural,  arquitetônico  e  ambiental  

do  Município,  inclusive  adotando  medidas  educativas  e  preventivas;    

VIII  -  cooperar  com  os  demais  órgãos  de  defesa  civil  em  suas  atividades;    

IX  -  interagir  com  a  sociedade  civil  para  discussão  de  soluções  de  problemas  e  

projetos  locais  voltados  à  melhoria  das  condições  de  segurança  das  comunidades;    

X  -  estabelecer  parcerias  com  os  órgãos  estaduais  e  da  União,  ou  de  municípios  

vizinhos,  por  meio  da  celebração  de  convênios  ou  consórcios,  com  vistas  ao  desenvolvimento  

de  ações  preventivas  integradas;    

XI  -  articular-se  com  os  órgãos  municipais  de  políticas  sociais,  visando  à  adoção  de  

ações  interdisciplinares  de  segurança  no  Município;    

XII  -  integrar-se  com  os  demais  órgãos  de  poder  de  polícia  administrativa,  visando  

contribuir  para  a  normatização  e  a  fiscalização  das  posturas  e  ordenamento  urbano  municipal;    

XIII  -  garantir  o  atendimento  de  ocorrências  emergenciais,  ou  prestá-lo  direta  e  

imediatamente  quando  deparar-se  com  elas;    

XIV  -  encaminhar  ao  Delegado  de  Polícia,  diante  de  flagrante  delito,  o  autor  da  

infração,  preservando  o  local  do  crime,  quando  possível  e  sempre  que  necessário;  

XV  -  contribuir  no  estudo  de  impacto  na  segurança  local,  conforme  disposto  no  Plano  

Diretor  Municipal,  por  ocasião  da  construção  de  empreendimentos  de  grande  porte;    

XVI  -  desenvolver  ações  de  prevenção  primária  à  violência,  isoladamente  ou  em  

conjunto  com  os  demais  órgãos  da  própria  municipalidade,  de  outros  municípios  ou  das  

esferas  estadual  e  federal;    

 

   

XVII  -  auxiliar  na  segurança  de  grandes  eventos  e  na  proteção  de  autoridades  e  

dignatários;    

 

XVIII  -  atuar  mediante  ações  preventivas  na  segurança  escolar,  zelando  pelo  entorno  

e  participando  de  ações  educativas  com  o  corpo  discente  e  docente  das  unidades  de  ensino  

municipal,  de  forma  a  colaborar  com  a  implantação  da  cultura  de  paz  na  comunidade  local;  

XIX  -  organizar,  controlar,  fiscalizar  e  gerenciar  o  sistema  de  trânsito  e  transportes  no  

Município  de  Araguaína,  observado  o  planejamento  municipal  e  coordenar  a  sua  

implementação;    

XX  -  gerenciar,  implantar  e  manter  a  sinalização  nas  vias  públicas,  no  âmbito  do  

Município  de  Araguaína;    

XXI  -  coordenar  e  dirigir  as  atividades  de  engenharia,  fiscalização,  operação,  

estatística  e  educação  de  trânsito  e  transportes  no  Município  de  Araguaína;    

XXII  -  propor  e  administrar  a  política  tarifária;    

XXIII  -  estabelecer  e  implantar  política  de  educação  para  a  segurança  de  trânsito;    

XXIV  -  implantar  as  Juntas  Administrativas  de  Recursos  de  Infrações  -  JARI,  unidades  

funcionais  colegiadas  responsáveis  pela  análise  e  julgamento  dos  recursos  interpostos  contra  

a  aplicação  de  penalidades  em  decorrência  de  infração  à  legislação  de  trânsito,  obedecidas  às  

normas  estatuídas  no  Código  Brasileiro  de  Trânsito;    

XXV  -  autorizar  interdições  e  desvios  de  tráfego  no  sistema  viário  municipal;    

XXVI  -  operar,  diretamente  ou  através  de  prepostos,  por  meio  de  permissão,  

autorização  ou  contratação,  os  serviços  de  transporte  público  coletivo,  de  táxi,  de  mototaxi,  

escolar  e  de  lazer,  estabelecendo  todas  as  condições  de  operação,  inclusive  programação  de  

horários,  tipos  e  características  dos  veículos  e  formas  de  delegação  e  exercendo  controle  

sobre  as  condições  de  operação;    

XXVII  -  executar,  diretamente  ou  mediante  delegação,  a  atividade  de  inspeção  

veicular;    

XXVIII  -  imprimir  maior  eficiência  e  eficácia  ao  transporte  público,  promovendo  um  

processo  permanente  de  avaliação  e  modernização  do  mesmo;    

XXIX  -  participar  do  planejamento  urbano,  econômico  e  de  outras  áreas  de  interface  

com  o  planejamento  de  transportes,  tráfego,  trânsito  e  sistema  viário;    

XXX  -  analisar  os  projetos  de  construções  que,  pela  sua  natureza,  sejam  pólos  

geradores  de  tráfego,  nos  termos  previstos  no  art.  95  do  Código  de  Trânsito  Brasileiro;    

XXXI  -  executar  serviço  de  apoio  e  fiscalização  aos  eventos  promovidos  pelo  

Município  de  Araguaína;    

XXXII-  definir  políticas  de  capacitação  dos  recursos  humanos  da  ASTT,  visando  a  

melhoria  da  qualidade  dos  serviços  prestados  por  seus  servidores;    

XXXIII  -  promover  a  preservação  dos  bens,  serviços,  instalações  e  equipamentos  que  

integram  o  patrimônio  público  municipal  e  que  estão  sob  sua  responsabilidade;    

XXXIV  -  firmar  convênios  com  órgãos  e  entidades  públicas  ou  privadas,  nas  esferas  

municipal,  estadual  e  federal;    

XXXV  -  exercer  outras  atividades  correlatas.    

   

Art.  5º  A  autonomia  administrativa,  orçamentária,  financeira,  patrimonial  e  auto-

organizacional  da  ASTT,  bem  como  as  prerrogativas  e  os  direitos  inerentes  à  sua  personalidade  

jurídica  de  ente  público  descentralizado,  serão  exercidos,  especialmente,  pela  capacidade  de:    

 

I  -  Gestão  administrativa:    

 

a)  organizar  o  quadro  de  pessoal  necessário  ao  pleno  desempenho  das  atribuições  da  

ASTT,  de  acordo  com  seus  recursos  orçamentários  e  a  qualificação  profissional,  de  forma  a  

garantir  a  qualidade  das  ações  e  serviços;    

b)  normatizar  o  gerenciamento  de  pessoal,  estabelecendo  os  casos  de  admissão  e  

contratação  temporária  ou  não,  observada  a  legislação  municipal  vigente;    

c)  instituir  políticas  permanentes  de  formação  e  desenvolvimento  de  seu  quadro  de  

pessoal;    

d)  zelar  pelo  cumprimento  das  normas  disciplinares  e,  se  for  necessário,  encaminhar  

para  a  Controladoria  Municipal  os  casos  a  serem  apurados;    

e)  estabelecer  a  política  de  organização  interna  de  serviços  e  sua  modernização;    

f)  realizar  os  procedimentos  referentes  a  contratos  administrativos  pertinentes  a  

obras,  serviços,  compras,  alienações,  concessões,  permissões  e  locações,  atendendo  os  

dispositivos  da  Lei  Federal  nº  8.666,  de  21  de  junho  de  1993,  da  Lei  Federal  nº  10.520,  de  17  

de  julho  de  2002  e  demais  legislações  correlatas;    

g)  estabelecer  sua  própria  política  de  materiais  e  equipamentos;    

 

II  -  Gestão  orçamentária,  financeira  e  patrimonial:    

 

a)  elaborar,  participativamente,  a  proposta  orçamentária,  discriminando  receitas  e  

despesas  com  base  na  estimativa  da  produção  de  serviços  de  seu  Plano  Anual  de  Trabalho;    

b)  administrar  os  recursos  financeiros,  os  bens  móveis  e  imóveis  que  estejam  sob  sua  

responsabilidade  por  força  de  lei,  convênio  ou  consórcio  ou  quaisquer  outros  instrumentos  

congêneres;    

c)  controlar  a  execução  orçamentária  e  a  aplicação  das  dotações  e  recursos  

financeiros,  bem  como  estabelecer  normas  internas  de  execução  e  controle  do  orçamento  e  

remanejamento  de  verbas,  sem  prejuízo  dos  demais  controles  e/ou  tutelas  administrativas  

exercidos  pela  Administração  Direta.    

 

CAPÍTULO  III  

DA  ESTRUTURA  ORGANIZACIONAL  

 

Art.  6º  A  ASTT  é  constituída  pelos  órgãos  integrantes  de  sua  estrutura  organizacional,  

sujeitos  à  subordinação  hierárquica,  submetidos  à  direção  superior  do  dirigente  da  ASTT.  

 

Parágrafo  único.  A  autoridade  máxima  da  ASTT  ocupará  o  cargo  de  Presidente,  

classificado  como  agente  político,  sendo  este  de  livre  nomeação  do  Chefe  do  Poder  Executivo.    

   

Art.  7º  Compete  ao  Presidente  da  ASTT:    

 

I  -  representar  a  ASTT  ativa  e  passivamente,  em  juízo  e/ou  fora  dele;    

II  -  aprovar  a  outorga,  cessão,  transferência  e  cassação  de  permissão,  autorização  ou  

contratação;    

III  -  praticar  atos  de  administração  de  pessoal  no  âmbito  da  ASTT  bem  como  aplicar  

penalidades  disciplinares  e  ainda,  delegar,  no  todo  ou  em  parte,  quaisquer  dessas  atribuições;    

IV  -  coordenar  e  supervisionar  os  trabalhos  da  ASTT,  podendo  delegar  a  qualquer  dos  

diretores  as  atribuições  de  sua  competência;    

V  -  assinar  todos  os  documentos  que  obriguem  a  ASTT,  inclusive  cheques,  podendo  

constituir  procuradores,  com  poderes  específicos,  vedado  o  substabelecimento  da  

procuração;    

VI  -  indicar  os  ocupantes  de  cargo  ou  função  de  confiança  da  ASTT,  cuja  nomeação  

dar-se-á  por  ato  do  Chefe  do  Poder  Executivo;    

VII  -  promover,  por  intermédio  dos  órgãos  da  ASTT,  os  estudos  técnicos  necessários  

à  captação  de  recursos  externos  e  supervisionar  a  sua  aplicação;    

VIII  -  autorizar,  observada  a  legislação  vigente,  a  aquisição,  empréstimo  e  aluguel  de  

bens  móveis;    

IX  -  autorizar  abertura  de  licitação  e  homologar-lhe  o  resultado;    

X  -  representar  a  ASTT  na  assinatura  de  convênios,  contratos,  demais  acordos  e  seus  

respectivos  aditamentos;    

XI  -  emitir  portarias  e  outros  atos  normativos  de  sua  competência;    

XII  -  designar,  na  falta  ou  impedimento  ocasional  ou  temporário  de  ocupante  de  cargo  

comissionado,  o  substituto  deste;    

XIII  -  articular-se  com  órgãos  públicos  e  privados,  visando  o  conhecimento  de  planos,  

programas,  projetos  e  respectivos  financiamentos  de  transporte,  tráfego,  trânsito  e  sistema  

viário;    

XIV  –  propor  ao  Chefe  do  Poder  Executivo:    

 

a)  os  ajustes  e  alterações  na  estrutura  organizacional  da  ASTT,  criando,  extinguindo  

ou  transformando  unidades  funcionais;    

b)  as  diretrizes,  condições  e  normas  gerais  relativas  a  transporte,  tráfego,  trânsito  e  

sistema  viário  do  Município  de  Araguaína;    

c)  o  regulamento  de  prestação  por  terceiros  dos  serviços  de  transporte  coletivo  de  

passageiros  e  dos  serviços  de  transporte  individual  de  passageiros;    

d)  a  política  tarifária;    

e)  o  percentual  de  administração  do  sistema  de  transportes;    

f)  a  política  de  arrecadação  de  penalidades  pecuniárias  aplicadas  a  participantes  do  

sistema  de  transporte  coletivo  e  tráfego;    

g)  os  coeficientes  e  os  índices  de  consumo  das  planilhas  de  custos;    

h)  o  reajuste  das  tarifas  por  atualização  geral  ou  por  alteração  dos  coeficientes  e  

índices  de  consumo  das  planilhas  de  custo  ou  ainda  por  repasse  de  aumento  de  combustível;    

   

i)  a  destinação  dos  recursos  do  Fundo  Municipal  de  Segurança,  Transportes  e  Trânsito  

–  FSTT;    

j)  a  participação  de  servidores  em  cursos,  visitas  técnicas,  congressos,  seminários  ou  

outros  eventos  no  exterior;    

 

XV  -  executar  outras  tarefas  que  lhe  forem  delegadas  pelo  Chefe  do  Executivo  

Municipal.    

 

Art.  8º  A  Estrutura  da  ASTT  compreende  a  Presidência,  os  órgãos  colegiados,  

superintendências,  diretorias,  na  forma  desta  Lei  e  de  regulamento  do  Poder  Executivo.    

 

§  1º  Os  órgãos  componentes  da  ASTT  obedecerão  ao  seguinte  escalonamento  

hierárquico:    

 

I  -  1º  grau  hierárquico:  Presidência;    

II  -  2º  grau  hierárquico:  Vice-Presidência;    

III  -  3º  grau  hierárquico:  Superintendência  e  Procuradoria;    

IV  -  4º  grau  hierárquico:  Diretoria;    

V  -  5º  grau  hierárquico:  Coordenação;    

VI  -  6º  grau  hierárquico:  Assessoria  Técnica;    

VII  -  7º  grau  hierárquico:  Assessoria  Especial.    

 

§  2º  No  prazo  de  60  (sessenta)  dias  da  publicação  desta  Lei,  o  Presidente  da  ASTT  

deverá  submeter  à  aprovação  do  Chefe  do  Executivo  Municipal  a  alocação,  denominação,  

finalidades  e  especificação  de  competências  dos  órgãos  de  2º,  3º,  4º  e  5º  graus  hierárquicos,  

vedada  a  implantação  dos  órgãos  de  que  trata  este  artigo  sem  a  previsão  legal  do  respectivo  

cargo  de  titularidade.    

 

§3º  Ficam  desde  já  criados  e  denominados  os  órgãos  de  trata  o  parágrafo  anterior,  

bem  como  os  demais  necessários  ao  funcionamento  inicial  da  ASTT,  nos  termos  do  disposto  

no  Anexo  I  desta  Lei.    

 

§4º  Para  fins  de  remuneração  ficam  equiparados  os  cargos  e  salários  acima  definidos  

à  tabela  do  Anexo  I  da  Lei  Municipal  nº  2.829,  de  31  de  dezembro  de  2012.    

 

CAPÍTULO  IV  

DA  GUARDA  MUNICIPAL  

 

Art.  9º  Fica  criada  a  Guarda  Municipal  de  Araguaína  –  GMA,  órgão  integrante  da  

segurança  pública  municipal,  instituição  de  caráter  civil,  uniformizada  e  armada,  subordinada  

ao  chefe  do  Poder  Executivo  Municipal,  com  a  função  de  proteção  municipal  preventiva,  

ressalvadas  as  competências  da  União,  dos  Estados  e  do  Distrito  Federal.  

   

Seção  I  

Dos  Princípios  

 

Art.  10.  A  Guarda  Municipal  de  Araguaína  reger-se-á  pelos  seguintes  princípios  

mínimos  de  atuação:  

 

I  -  proteção  dos  direitos  humanos  fundamentais,  do  exercício  da  cidadania  e  das  

liberdades  públicas;    

II  -  preservação  da  vida,  redução  do  sofrimento  e  diminuição  das  perdas;    

III  -  patrulhamento  preventivo;    

IV  -  compromisso  com  a  evolução  social  da  comunidade;    

V  -  uso  progressivo  da  força.    

 

Seção  II  

Das  Competências  

 

Art.  11.  É  competência  geral  da  Guarda  Municipal  de  Araguaína  a  proteção  de  bens,  

serviços,  logradouros  públicos  municipais  e  instalações  do  Município.  

 

Art.  12.  São  competências  específicas  da  Guarda  Municipal  de  Araguaína,  respeitadas  

as  competências  dos  órgãos  federais  e  estaduais:    

 

I  -  zelar  pelos  bens,  equipamentos  e  prédios  públicos  do  Município;    

II  -  prevenir  e  inibir,  pela  presença  e  vigilância,  bem  como  coibir,  infrações  penais  ou  

administrativas  e  atos  infracionais  que  atentem  contra  os  bens,  serviços  e  instalações  

municipais;    

III  -  atuar,  preventiva  e  permanentemente,  no  território  do  Município  de  Araguaína,  

para  a  proteção  sistêmica  da  população  que  utiliza  os  bens,  serviços  e  instalações  municipais;    

IV  -  colaborar,  de  forma  integrada  com  os  órgãos  de  segurança  pública,  em  ações  

conjuntas  que  contribuam  com  a  paz  social;    

V  -  colaborar  com  a  pacificação  de  conflitos  que  seus  integrantes  presenciarem,  

atentando  para  o  respeito  aos  direitos  fundamentais  das  pessoas;    

VI  -  exercer  as  competências  de  trânsito  que  lhes  forem  conferidas,  nas  vias  e  

logradouros  municipais,  nos  termos  do  Código  de  Trânsito  Brasileiro,  de  forma  concorrente  

com  os  Agentes  de  Trânsitos  vinculados  à  ASTT  e  demais  órgãos  do  Poder  Público  mediante  

celebração  de  convênio;  

VII  -  proteger  o  patrimônio  ecológico,  histórico,  cultural,  arquitetônico  e  ambiental  

do  Município  de  Araguaína,  inclusive  adotando  medidas  educativas  e  preventivas;  

VIII  -  cooperar  com  os  demais  órgãos  de  defesa  civil  em  suas  atividades;    

IX  -  interagir  com  a  sociedade  civil  para  discussão  de  soluções  de  problemas  e  

projetos  locais  voltados  à  melhoria  das  condições  de  segurança  das  comunidades;    

 

   

X  -  estabelecer  parcerias  com  os  órgãos  estaduais  e  da  União,  ou  de  municípios  

vizinhos,  por  meio  da  celebração  de  convênios  ou  consórcios,  com  vistas  ao  desenvolvimento  

de  ações  preventivas  integradas;    

XI  -  articular-se  com  os  órgãos  municipais  de  políticas  sociais,  visando  à  adoção  de  

ações  interdisciplinares  de  segurança  municipal;    

XII  -  integrar-se  com  os  demais  órgãos  de  poder  de  polícia  administrativa,  visando  a  

contribuir  para  a  normatização  e  a  fiscalização  das  posturas  e  ordenamento  urbano  municipal;    

XIII  -  garantir  o  atendimento  de  ocorrências  emergenciais,  ou  prestá-lo  direta  e  

imediatamente  quando  deparar-se  com  elas;    

XIV  -  encaminhar  ao  Delegado  de  Polícia,  diante  de  flagrante  delito,  o  autor  da  

infração,  preservando  o  local  do  crime,  quando  possível  e  sempre  que  necessário;    

XV  -  contribuir  no  estudo  de  impacto  na  segurança  local,  conforme  Plano  Diretor  

Municipal,  por  ocasião  da  construção  de  empreendimentos  de  grande  porte;    

XVI  -  desenvolver  ações  de  prevenção  primária  à  violência,  isoladamente  ou  em  

conjunto  com  os  demais  órgãos  da  própria  municipalidade,  de  outros  municípios  ou  das  

esferas  estadual  e  federal;    

XVII  -  auxiliar  na  segurança  de  grandes  eventos  e  na  proteção  de  autoridades  e  

dignatários;      

XVIII  -  atuar  mediante  ações  preventivas  na  segurança  escolar,  zelando  pelo  entorno  

e  participando  de  ações  educativas  com  o  corpo  discente  e  docente  das  unidades  de  ensino  

municipal,  de  forma  a  colaborar  com  a  implantação  da  cultura  de  paz  na  comunidade  local.  

 

Seção  III  

Dos  Cargos,  da  Investidura  e  das  Prerrogativas  

   

Art.  13.  Ficam  criados  na  Carreira  da  Administração  Pública  Municipal  40  (quarenta)  

cargos  de  Guarda  Municipal,  passando  a  integrar  o  Quadro  de  Provimento  Efetivo  do  

Município  de  Araguaína,  instituído  pela  Lei  Municipal  nº  2.467,  de  5  de  maio  de  2006.  

   

§  1º  Os  cargos  de  que  trata  o  caput  serão  providos  para  cumprimento  de  jornada  de  

trabalho  de  40  (quarenta)  horas  semanais.  

   

§  2º  O  provimento  dos  cargos  a  que  se  refere  o  caput  dar-se-á  de  forma  gradual,  de  

acordo  com  a  disponibilidade  de  recursos  orçamentários,  em  consonância  com  o  disposto  no  

art.  169,  §1º,  da  Constituição  da  República  Federativa  do  Brasil  de  1988.  

 

Art.  14.    Conforme  os  agentes  de  transportes  e  trânsito  forem  dando  baixa  de  

Provimento  Efetivo  do  Município,  seja  por  aposentadoria,  motivos  pessoais,  falecimento,  

nomeação  em  novo  cargo,  ou  por  qualquer  outro,  fica  também  concomitantemente  extinto  o  

referido  cargo.    

 

Art.  15.  São  atribuições  de  todos  os  integrantes  da  Carreira  de  Guarda  Municipal:  

   

§  1º  Executar  o  policiamento  administrativo  ostensivo,  preventivo,  uniformizado  e  

aparelhado,  na  proteção  à  população,  bens,  serviços  e  instalações  municipais,  através  das  

seguintes  tarefas  típicas:  

 

I  -  tomar  conhecimento  das  ordens  existentes  a  respeito  de  sua  ocupação,  ao  iniciar  

qualquer  serviço,  para  o  qual  se  encontre  escalado;  

II  -  estar  atento  durante  a  execução  de  qualquer  serviço;  

III  -  tratar  com  atenção  e  urbanidade  as  pessoas  com  as  quais,  em  razão  do  serviço,  

entrar  em  contato,  ainda  quando  estas  procederem  de  maneira  diversa;  

IV  -  atender  com  presteza  as  ocorrências  para  as  quais  for  solicitado  e/ou  defrontar-

se;  

V  -  elaborar  boletim  de  ocorrências  e  guias  de  entrega,  com  zelo  e  imparcialidade;  

VI  -  proceder  à  revista  pessoal  quando  necessário  e  principalmente  por  ocasião  de  

prisão  em  flagrante  delito;  

VII  -  zelar  pelo  armamento,  munição,  equipamento  de  radiocomunicação,  viaturas  e  

demais  utensílios  destinados  à  consecução  das  suas  atividades;  

VIII  -  zelar  pela  sua  apresentação  individual  e  pessoal,  apresentado-se  decentemente  

uniformizado;  

IX  -  operar  equipamentos  de  comunicações  e  conduzir  viaturas,  conforme  escala  de  

serviço  ou  quando  necessário;  

X  -  prestar  colaboração  e  orientar  o  público  em  geral,  quando  necessário;  

XI  -  apoiar  e  garantir  as  ações  fiscalizadoras  e  o  funcionamento  dos  serviços  de  

responsabilidade  do  Município;  

XII  -  executar  atividades  de  socorro  e  proteção  às  vítimas  de  calamidades  públicas,  

participando  das  ações  de  defesa  civil;  

XIII  -  cumprir  fielmente  as  ordens  emanadas  de  seus  superiores  hierárquicos;  

XIV  -  colaborar  com  os  diversos  órgãos  públicos,  nas  atividades  que  lhe  dizem  

respeito;  

XV  -  apoiar  e  orientar  no  controle  do  trânsito  municipal  de  pedestres  e  veículos  na  

área  de  suas  atribuições  ou  quando  necessário;  

XVI  -  colaborar  na  prevenção  e  combate  de  incêndios  e  no  suporte  básico  da  vida,  

quando  necessário;  

XVII  -  zelar  pelos  equipamentos  que  se  encontrem  em  escala  de  serviço,  levando  ao  

conhecimento  de  seu  superior  qualquer  fato  que  dependa  de  serviços  especializados  para  

reparo  e  manutenção.  

XVIII  -  conduzir  viaturas,  conforme  escala  de  serviço;    

XIX  -  efetuar  ronda  motorizado  nos  parques,  praças  e  logradouros  públicos  

municipais,  conforme  escala  de  serviço;    

XX  -  passam  a  ser  consideradas  ainda  competências  e  atribuições  da  Guarda  

Municipal  todas  aquelas  elencadas  no  Anexo  Único  da  Lei  Complementar  Municipal  nº  032,  

de  20  de  janeiro  de  2015,  que  trata  das  atribuições  do  Agente  de  Transporte  e  Trânsito.    

 

   

§  2º.  Sendo  solicitados  para  o  atendimento  de  ocorrências  emergenciais,  ou  

deparando-se  com  elas,  os  Guardas  Municipais  deverão  dar  atendimento  imediato,  

observando  que:  

   

I  -  caso  o  fato  caracterize  infração  penal,  encaminharão  os  envolvidos,  diretamente,  

à  autoridade  policial  competente;  

II  -  nos  casos  de  remoção  médica  emergencial  deverão  acionar  os  órgãos  

competentes,  havendo  indisponibilidade  das  mesmas,  deverá  ser  realizado  o  pronto  

atendimento  pela  guarnição  que  encontrar-se  no  local;  

 

§  3º.  As  atribuições  e  os  requisitos  do  cargo  de  Agente  de  Transporte  e  Trânsito  que  

serão  contidos  no  Anexo  Único,  parte  integrante  da  Lei  Complementar  032,  de  20  de  janeiro  

de  2015,  que  dispõe  sobre  a  criação,  transformação  e  extinção  de  cargos  do  Quadro  Geral  de  

Provimento  Efetivo  do  Município  de  Araguaína  garantindo  as  atribuições  do  cargo  e  dá  outras  

providências.  

 

Art.  16.  Os  candidatos  habilitados  e  aprovados  em  concurso  público  serão  

convocados  para  tomar  posse  e  exercício  das  atribuições  inerentes  aos  cargos  criados  por  esta  

Lei  e  nomeados  pelo  Regime  Jurídico  Único  dos  Servidores  Públicos  do  Município  de  Araguaína  

–  Lei  Municipal  nº  1.323,  de  20  de  setembro  de  1993  e  suas  alterações.  

 

§  1º  São  requisitos  básicos  para  investidura  no  cargo  público  da  Guarda  Municipal  de  

Araguaína:  

 

I  -  nacionalidade  brasileira;    

II  -  gozo  dos  direitos  políticos;    

III  -  quitação  com  as  obrigações  militares  e  eleitorais;    

IV  -  nível  médio  completo  de  escolaridade;    

V  -  idade  mínima  de  18  (dezoito)  anos  e  máxima  de  35  (trinta  e  cinco)  anos;    

VI  -  aptidão  física,  mental  e  psicológica;    

VII  -  idoneidade  moral  comprovada  por  investigação  social  e  certidões  expedidas  pelo  

Poder  Judiciário  no  âmbito  estadual  e  federal;    

VIII  –  habilitação  mínima  nas  categorias  “A”  e  “B”.  

 

§  2º  No  lapso  compreendido  entre  a  publicação  desta  Lei  e  a  investidura  citada  no  

caput  deste  artigo,  será  permitada  a  contratação  de  militares  da  reserva  com  bons  serviços  

prestados,  mediante  comprovação,  pela  apresentação  de  ficha  funcional  do  órgão  de  origem  

e  que  tenha  condições  nos  termos  do  inciso  VI,  do  §  1º  do  art.  16  da  presente  Lei.  

   

§  3º  O  Concurso  de  que  trata  esta  Lei  deverá  ter  seu  Edital  publicado  no  prazo  

máximo  de  24  (vinte  e  quatro)  meses,  contados  a  partir  de  sua  publicação.  

 

   

Art.  17.  Fica  assegurado  ao  Guarda  Municipal,  a  percepção  de  adicional  de  risco  de  

vida  ou  periculosidade,  em  percentual  a  ser  estabelecido  por  lei  específica,  calculado  sobre  o  

salário  base  de  vencimento  da  Guarda  Municipal,  mediante  requerimento  do  interessado.  

 

Parágrafo  único.  Somente  terá  direito  ao  adicional  de  risco  de  vida  ou  periculosidade  

o  Guarda  Municipal  que  estiver  na  ativa  e  desenvolvendo  atividades  não  administrativas.  

 

Art.  18.  No  exercício  regular  das  atribuições  de  Guarda  Municipal  o  servidor  terá  

garantida  assistência  jurídica,  prestada  gratuitamente  pelo  Município,  através  de  sua  

Procuradoria-Geral  do  Município  (PGM).  

 

Art.  19.  Aos  guardas  municipais  é  autorizado  o  porte  de  arma  de  fogo,  conforme  

previsto  em  Lei.    

 

Parágrafo  único.  Suspende-se  o  direito  ao  porte  de  arma  de  fogo  em  razão  de  

restrição  médica,  decisão  judicial  ou  justificativa  da  adoção  da  medida  pelo  respectivo  

dirigente.    

 

Art.  20.  O  regime  jurídico  e  o  desenho  organizacional  da  Guarda  Municipal  

subordinam-se  ao  Estatuto  da  Guarda  Municipal  de  Araguaína.  

 

§  1º  O  Poder  Executivo  regulamentará  a  presente  Lei,  no  que  couber,  através  de  

estatuto  próprio  da  Guarda  Municipal.  

 

§  2º  Juntamente  à  avaliação  do  estágio  probatório,  o  Guarda  Municipal,  para  ser  

considerado  estável,  deverá,  ainda,  obter  aprovação  em  curso  de  capacitação  a  ser  oferecido  

pelo  Município,  conforme  determina  a  Matriz  Curricular  Nacional  para  Formação  de  Guardas  

Municipais,  preconizada  pela  Secretaria  Nacional  de  Segurança  Pública  do  Ministério  da  

Justiça  (SENASP/MJ).  

 

Art.  21.  As  despesas  decorrentes  da  aplicação  desta  lei  correrão  por  conta  de  

dotações  orçamentárias  próprias.  

 

CAPITULO  V  

DO  PATRIMÔNIO  E  RECEITAS  PRÓPRIAS  

 

Art.  22.  O  patrimônio  da  ASTT  será  formado  pelos  bens  que  vier  a  adquirir  e  os  

doados  pelo  município  no  ato  de  sua  constituição.    

 

Art.  23.  Constituem  receitas  da  ASTT:    

 

I  -  as  de  capital;    

   

 

II  -  as  transferências  consignadas  na  Lei  Orçamentária  Anual  do  Município  e  as  

advindas  de  créditos  adicionais;    

III  -  as  rendas  provenientes  de  convênios,  contratos,  acordos  e  outros  ajustes;    

IV  -  as  transferências  de  receitas,  subvenções,  doações,  legados,  contribuições,  

auxílios  e  repasses  de  pessoas  físicas  ou  jurídicas,  de  direito  público  ou  privado;    

V  -  os  rendimentos  e  juros  provenientes  de  aplicações  financeiras;    

VI  -  outras  receitas,  legalmente  constituídas.    

 

Parágrafo  único.  As  receitas  de  que  trata  este  artigo  deverão  ser  depositados  em  

contas  bancárias  específicas  e  somente  poderão  ser  aplicadas  para  o  desempenho  dos  fins  e  

objetivos  da  ASTT.    

 

CAPÍTULO  VI  

DOS  ATIVOS  E  PASSIVOS  DA  ASTT  

 

Art.  24.  Constituem  Ativos  da  ASTT:    

 

I  -  disponibilidades  monetárias  em  banco  e/ou  em  caixa,  oriunda  de  receitas  

especificadas;    

II  -  direitos  que  porventura  vierem  a  ser  constituídos;    

III  -  bens  móveis  e  imóveis  que  forem  destinados  e  adquiridos  pela  ASTT.    

 

Art.  25.  Constituem  passivos  da  ASTT  as  obrigações  de  qualquer  natureza  que  

porventura  a  ASTT  venha  a  assumir  para  aplicação  de  suas  ações,  programas  e  projetos.    

 

CAPÍTULO  VII  

DO  FUNDO  MUNICIPAL  DE  SEGURANÇA,  TRANSPORTE  E  TRÂNSITO  

 

Art.  26.  Fica  criado  o  Fundo  Municipal  de  Segurança,  Transportes  e  Trânsito  –  FSTT,  

que  é  a  unidade  de  orçamento,  de  finanças  e  contábil  do  Sistema  Municipal  de  Transportes  e  

Trânsito  no  Município  de  Araguaína,  e  tem  como  objetivo  garantir  condições  financeiras  para  

custeio  e  investimentos  em  controle,  operação,  fiscalização  e  planejamento  de  transporte  

público  e  trânsito  no  Município.    

 

Art.  27.  Constituem  receitas  do  FSTT:    

 

I  -  as  consignadas,  a  seu  favor,  no  Orçamento  Fiscal  do  Município  de  Araguaína;    

II  -  as  decorrentes  de  créditos  adicionais;    

III  -  a  arrecadação  de  multas  de  trânsito,  exceto  a  parcela  prevista  no  parágrafo  único  

do  art.  320  do  Código  de  Trânsito  Brasileiro;    

 

   

IV  -  a  arrecadação  de  multas  decorrentes  da  gestão  dos  serviços  municipais  de  

transporte  público,  coletivo,  individual  de  passageiros,  ou  fretado,  bem  como  de  valores  

provenientes  das  autorizações  e  aplicação  de  penalidades  cabíveis  para  tráfego  de  veículos  

com  excesso  de  peso,  dimensões  e  lotação  nas  vias  do  Município  de  Araguaína;    

V  -  eventuais  receitas  próprias  do  sistema  de  estacionamento  rotativo  pago;    

VI  -  recursos  pagos  a  título  de  outorga  onerosa  de  concessões,  permissões  ou  

autorizações  para  exploração  de  serviços  afetos  ao  transporte  público,  bem  como  o  produto  

de  arrecadação  de  taxas  de  fiscalização  e  transferência  de  concessões  e  permissões  para  

exploração  do  transporte  urbano  e  distrital  de  passageiros;    

VII  -  receitas  originadas  em  convênios,  termos  de  cooperação  ou  contratos  

associados  à  gestão  do  transporte  público  e  do  trânsito  no  município,  bem  como  pelo  

desenvolvimento  de  projetos  específicos  de  sua  abrangência;    

VIII  -  receitas  originadas  de  exploração  de  publicidade,  por  particulares  ou  outras  

pessoas  jurídicas  de  direito  público,  em  bens  públicos  ou  através  de  serviços  públicos,  

atinentes  à  esfera  de  competência  da  ASTT;    

IX  -  receitas  arrecadadas  de  valores  provenientes  de  estada  e  remoção  de  veículos  e  

equipamentos  que  interfiram  na  circulação,  parada  e  estacionamento,  e  escolta  de  veículos  

de  cargas  superdimensionadas  ou  perigosas  nas  vias  do  Município  de  Araguaína;    

X  -  receitas  provenientes  do  Custo  de  Gerenciamento  Operacional  dos  serviços  de  

trânsito  e  transporte;    

XI  -  recursos  provenientes  do  repasse  da  Contribuição  de  Intervenção  no  Domínio  

Econômico  (CIDE);    

XII  -  contribuições,  transferências  de  recursos,  subvenções,  auxílios  ou  doações,  do  

poder  público  ou  do  setor  privado;    

XIII  -  as  resultantes  de  aplicação  financeira  na  forma  da  legislação  vigente;    

XIV  -  os  saldos  positivos  apurados  em  balanço  transferidos  para  o  exercício  financeiro  

seguinte;    

XV  -  as  rendas  e  receitas  eventuais  que  lhe  venham  a  ser  destinadas.    

 

Art.  28.  Os  recursos  do  FSTT  poderão  ser  aplicados  nas  seguintes  finalidades:    

 

I  -  financiamento  de  programas  e  campanhas  de  educação  para  o  trânsito;    

II  -  aquisição  de  material  permanente  ou  de  consumo  e  outros  insumos  necessários  

para  planejamento,  projeto,  implantação,  manutenção,  operação  e  fiscalização  do  transporte  

público  e  do  trânsito  no  Município;    

III  -  contratação  de  estudos,  projetos,  planos  ou  implantações  específicas  para  

transporte  público  e  trânsito;    

IV  -  implementação  de  programas  visando  a  melhoria  da  qualidade  dos  sistemas  de  

transporte  público  e  trânsito;    

V  -  desenvolvimento,  capacitação  e  aprimoramento  de  recursos  humanos  envolvidos  

na  gestão  e  na  prestação  dos  serviços  de  transporte  público  e  trânsito;    

 

   

VI  -  investimentos  em  equipamentos  e  capacitação  tecnológica  para  gestão  da  

circulação  e  dos  serviços  de  transporte  público  e  de  trânsito  no  Município  de  Araguaína    

VII  -  desenvolvimento  de  ações  e  serviços  de  apoio  aos  usuários  e  de  garantia  de  

segurança  aos  pedestres  na  circulação;    

VIII  -  custeio  das  atividades  desenvolvidas  pela  ASTT  na  gestão  da  circulação,  

mobilidade  e  dos  serviços  de  trânsito  e  transporte,  bem  como  gastos  com  pessoal;    

IX  -  transporte  público  e  trânsito;    

X  -  custeio  e  investimento  em  outras  atividades  associadas  à  segurança,  circulação,  

ao  transporte  público  e  ao  trânsito.    

 

Art.  29.  Os  recursos  do  FSTT  deverão  ser  mantidos  em  conta  especial,  de  titularidade  

da  ASTT/Prefeitura  de  Araguaína;  

   

Art.  30.  Os  bens  móveis  e  imóveis,  obras  e  benfeitorias  adquiridas/realizadas  com  

recursos  do  FSTT  passam  a  integrar  o  patrimônio  da  ASTT.    

 

Art.  31.  É  ordenador  de  despesas  dos  recursos  do  FSTT  o  Presidente  da  ASTT.    

 

Art.  32.  O  Executivo  municipal  disporá,  em  regulamento,  sobre  a  gestão  do  FSTT  na  

estrutura  da  ASTT,  para  fins  de  execução  e  acompanhamento.    

 

CAPÍTULO  VIII  

DO  QUADRO  DE  PESSOAL  

 

Art.  33.  O  Quadro  de  Pessoal  da  ASTT  Municipal  de  Trânsito  e  Transporte  de  

Araguaína  -  ASTT  será  constituído:    

 

I  -  de  servidores  detentores  de  cargo  de  provimento  efetivo,  cujo  ingresso  far-se-á  

mediante  concurso  público;    

II  -  de  servidores  ocupantes  de  cargos  de  provimento  em  comissão  e  função  

gratificada,  constantes  do  Anexo  I;  

III  -  de  servidores  públicos  cedidos  por  outros  órgãos,  por  tempo  determinado,  

mediante  a  celebração  de  convênios  com  entidades  da  administração  direta  ou  indireta  do  

Município,  do  Estado  ou  da  União;    

IV  -  de  contratados  temporários  por  excepcional  interesse  público,  nos  termos  da  

legislação  vigente.    

 

Art.  34.  Para  a  criação  e  o  provimento  dos  cargos  do  Quadro  de  Pessoal  da  ASTT  de  

que  trata  o  inciso  I,  o  Poder  Executivo  deverá  enviar  à  Câmara  de  Vereadores  projeto  de  lei  

em  até  6  meses  após  a  promulgação  desta  Lei.  

 

   

Art.  35.  O  provimento  dos  cargos  em  comissão  da  ASTT  é  de  competência  do  Chefe  

do  Poder  Executivo.    

 

Art.  36.  Ato  do  Chefe  do  Poder  Executivo  deverá  tornar  pública  a  relação  nominal  de  

servidores  a  serem  transferidos  para  a  ASTT,  após  o  decurso  do  prazo  de  que  trata  o  §  2º  do  

art.  41  desta  Lei,  conforme  as  informações  fornecidas  pela  Secretaria  Municipal  de  

Administração.    

 

Art.  37.  A  jornada  de  trabalho  dos  cargos  de  provimento  efetivo  da  ASTT  será  definida  

pelo  Estatuto  do  Servidor  Público  do  Município  de  Araguaína  até  que  seja  aprovado  o  Plano  

de  Cargos,  Carreiras  e  Vencimentos  –  PCCV  dos  servidores  da  ASTT.    

 

Parágrafo  único.  Além  do  cumprimento  do  estabelecido  no  caput  deste  artigo,  o  

exercício  de  cargo  em  comissão  exigirá  de  seu  ocupante  integral  dedicação  ao  serviço,  

podendo  ser  convocado  sempre  que  houver  interesse  da  administração.    

 

CAPÍTULO  IX  

DO  CONSELHO  MUNICIPAL  DE  SEGURANÇA,  TRANSPORTES  E  TRÂNSITO  

 

Art.  38.  Fica  criado  o  Conselho  Municipal  de  Segurança,  Transportes  e  Trânsito,  órgão  

autônomo  e  auxiliar  da  Administração,  que  garantirá  o  acesso  às  informações  e  a  participação  

no  planejamento,  operação  e  fiscalização  do  sistema  de  trânsito  e  transporte  público  por  

parte  dos  setores  populares  usuários.    

 

Parágrafo  único.  O  Conselho  Municipal  de  Segurança,  Transportes  e  Trânsito  estará  

vinculado  à  ASTT.    

 

Art.  39.  Compete  ao  Conselho  Municipal  de  Segurança,  Transportes  e  Trânsito:    

 

I  -  constituir  grupos  técnicos,  temporários  ou  permanentes,  para  estudar  e  sugerir:    

 

a)  políticas  públicas  dirigidas  ao  setor  de  trânsito  e  transporte;    

b)  uso  do  solo  e  segurança  viária;    

c)  políticas  de  transporte  e  circulação  no  âmbito  do  município;    

d)  melhorias  no  transporte  público  municipal;    

e)  localização  dos  sistemas  de  fiscalização  eletrônica;    

f)  medidas  para  o  aperfeiçoamento  da  legislação  local  de  trânsito;    

g)  plano  de  implementação  de  Campanhas  Educativas  conforme  os  principais  

feriados;    

h)  plano  de  implementação  de  Programas  de  Educação  para  o  trânsito  nos  diversos  

setores  da  comunidade,  especialmente  nas  escolas;    

i)  monitorar  as  ações  educativas  nas  escolas;    

   

II  -  auxiliar  no  planejamento  e  fiscalização  do  transporte  público  no  Município;    

III  -  apreciar  e  aprovar  a  estrutura  de  custo  e  receita  do  sistema  municipal  de  trânsito  

e  transporte;    

IV  -  opinar  na  criação,  funcionamento,  alteração  e  extinção  de  linhas  de  transporte  

remunerado  de  passageiros;    

V  -  apurar  irregularidades  e  denúncias  dos  setores  populares,  usuários  do  sistema,  e  

encaminhar  o  relatório  aos  setores  competentes;    

VI  –  criar  o  fórum  permanente  de  transporte  urbano.    

 

Art.  40.  O  Conselho  Municipal  de  Segurança,  Transportes  e  Trânsito  será  constituído  

pelos  seguintes  membros,  indicados  pelos  respectivos  órgãos  de  representação  e  designados  

pelo  Chefe  do  Poder  Executivo:    

 

I  -  Presidente  da  ASTT,  que  será  seu  Presidente;    

II  -  6  (seis)  representantes  do  Executivo,  indicados  pelo  Chefe  do  Poder  Executivo,  

sendo  um  deles  o  Vice-Presidente  do  Conselho;    

III  -  1  (um)  representante  do  Poder  Legislativo,  indicado  pela  Câmara  Municipal  de  

Araguaína;  

IV  -  1  (um)  representante  das  empresas  de  transporte  de  passageiros  de  Araguaína;    

V  -  1  (um)  representante  do  transporte  público  individual  de  passageiros  na  

modalidade  moto-táxi;    

VI  -  1  (um)  representante  de  Sindicato  dos  Trabalhadores  em  Transporte  Público;    

VII  -  1  (um)  representante  da  Sociedade  Civil  (ACIARA)  que  representará  os  usuários  

de  transporte  coletivo  de  Araguaína.    

VIII  -  1  (um)  representante  do  transporte  público  individual  de  passageiros  na  

modalidade  táxi;    

IX  -  1  (um)  representante  dos  estudantes;    

X  -  1  (um)  representante  dos  portadores  de  necessidades  especiais;    

XI  -  1  (um)  representante  dos  idosos.    

 

§  1º  Cada  membro  do  Conselho  Municipal  de  Segurança,  Transportes  e  Trânsito  

deverá  ter  um  suplente,  indicado  pelo  seu  respectivo  órgão  de  representação  e  designado  

pelo  Chefe  do  Poder  Executivo,  para  substituição  em  caso  de  ausência  ou  impedimento;    

 

§  2º  Fica  a  ASTT  incumbida  de  convocar  as  entidades  representativas  deste  Conselho  

para  que  as  mesmas  indiquem  oficialmente  seus  representantes  e  respectivos  suplentes.    

 

§  3º  A  escolha  do  representante  de  que  trata  o  inciso  IX  deste  artigo  será  pelo  que  

obtiver  maior  número  de  indicação  dos  órgãos  colegiados.    

 

   

Art.  41.  Os  membros  e  os  suplentes,  de  que  trata  o  artigo  anterior  desta  Lei,  terão  

mandato  de  um  ano,  permitida  sua  recondução,  com  exceção  do  Presidente  que  será  

permanentemente  o  Presidente  da  ASTT.    

 

Art.  42.  A  função  dos  Conselheiros  do  Conselho  Municipal  de  Segurança,  Transportes  

e  Trânsito,  considerada  relevante  serviço  público,  não  será  remunerada.    

 

Art.  43.  A  ASTT  garantirá  a  infraestrutura  necessária  para  o  funcionamento  do  

Conselho  Municipal  de  Segurança,  Transportes  e  Trânsito.    

 

CAPÍTULO  X  

DISPOSIÇÕES  FINAIS  

 

Art.  44.  A  ASTT  poderá  ser  extinta:    

 

I  -  mediante  lei;    

II  -  mediante  decisão  judicial.    

 

Parágrafo  único.  O  patrimônio  apurado  na  extinção  da  ASTT  será  revertido  ao  

patrimônio  do  Município  de  Araguaína,  na  forma  da  Lei.    

 

Art.  45.  Fica  o  Poder  Executivo  autorizado  a:    

 

I  -  transferir  à  ASTT  os  bens  necessários  ao  início  de  seu  funcionamento;    

II  -  realocar  os  saldos  das  dotações  orçamentárias  vigentes,  bem  como  restos  a  pagar,  

da  AMTT  para  a  ASTT.  

   

Art.  46.  A  publicação  de  todos  os  atos  administrativos  da  ASTT  será  feita,  

obrigatoriamente,  no  Diário  Oficial  de  Araguaína,  sem  prejuízo,  no  que  couber,  do  

cumprimento  das  normas  administrativas  previstas  na  Lei  Orgânica  do  Município  e  demais  

legislações  vigentes.    

 

Art.  47.  Fica  a  ASTT  autorizada  a  adotar  as  medidas  preliminares  atinentes  à  sua  

organização  e  funcionamento,  observado  o  disposto  nesta  Lei.    

 

Art.  48.  O  Poder  Executivo  Municipal  regulamentará  esta  Lei  no  prazo  de  90  (noventa)  

dias,  a  contar  da  data  de  sua  publicação.    

 

Art.  49.  As  despesas  com  a  execução  desta  Lei  correrão  por  conta  das  dotações  

orçamentárias  próprias,  suplementadas  se  necessário.    

 

   

Parágrafo  Único.  O  orçamento  da  ASTT  para  2017  está  consignado  na  LOA  2017,  

sendo  simplesmente  alterada  a  denominação  de  AMTT  para  ASTT.  

 

Art.  50.  Esta  Lei  Complementar  entra  em  vigor  na  data  de  sua  publicação.  

 

Art.  51.  Revogam-se  as  disposições  em  contrário,  especialmente  a  Lei  Municipal  nº  

2.901,  de  2  de  abril  de  2014.    

Araguaína,  Estado  do  Tocantins,  aos  16  de  janeiro  de  2017.  

RONALDO  DIMAS  NOGUEIRA  PEREIRA  

Prefeito  de  Araguaína  

ANEXO  I  –  TABELA  DE  CARGOS  

 

CARGO  QUANTIDADE  SÍMBOLO  

PRESIDENTE  1  DAS  

VICE-PRESIDENTE  1  DAS-II  

SUPERINTENDENTE  2  DAS-III  

PROCURADOR  1  DAS-IV  

CONTROLADOR  INTERNO  1  DAS-V  

OUVIDOR  1  DAS-V  

DIRETOR  3  DAS-IV  

COORDENADOR  8  DAS-V  

ASSESSOR  TÉCNICO  VII  10  AT-VII  

ASSESSOR  TÉCNICO  VI  2  AT-VI  

ASSESSOR  TÉCNICO  V  2  AT-VI  

ASSESSOR  TÉCNICO  IV  4  AT-IV  

ASSESSOR  TÉCNICO  II  1  AT-II  

ASSESSOR  TÉCNICO  I  1  AT-I  

ASSESSOR  ESPECIAL  VI  10  AE-VI  

ASSESSOR  ESPECIAL  V  5  AE-V